assecom@selviria.ms.gov.br
(67) 3579-1242

Histórico


Em fins dos anos cinquenta estavam prontos os estudos para o início da obra de construção de uma grande usina hidroelétrica que receberia o nome da Ilha Solteira no Rio Paraná. Em 1963 as obram tem início e logo haveria grande afluxo de trabalhadores de toda a região e estados vizinhos para a cidade-dormitório que se formou no lado paulista. A CESP, construtora da usina em pouco tempo tinha 30 mil pessoas em sua vila, e estimulava o loteamento do povoado que se formava do outro lado, no então Estado de Mato Grosso.

Definido o local onde seria construída a barragem de "Ilha Solteira", João Selvírio de Souza, com a colaboração de Norival Ventura da Silva e Aldo de Queiroz, resolveram implantar uma nova cidade. A locação do loteamento foi entregue a Sebastião Siqueira Júnior a qual, em dezembro de 1965 já haviam sido vendidos cerca de 600 lotes. Prova eloqüente do interesse despertado pela nova cidade.

Os motivos eram óbvios: diminuir o peso de tanta gente dentro de suas instalações e minimizar problemas de habitação, segurança e até da prostituição que tanta população masculina atraia. E assim surgiu o loteamento de Selviria, assim chamada em razão de estar localizada em terras do fazendeiro João Selvirio de Souza, um visionário que soube captar o momento histórico de criar uma vila e lucrar com venda das terras do cerrado. Em 1974, com o fim das obras da usina e consequente migração da mão-de-obra dos peões para outras hidroelétricas, como Rosana, Nova Avanhandava e Água Vermelha, a vila de Selvíria começou a definhar acompanhando a fuga de recursos. Era então uma vila-dormitório e crescera à sombra da CESP, mas agora o filão escasseava.

Foi elevada a Distrito de Três Lagoas pela lei 3.737, de 4 de maio de 1976 e o município criado pela lei 79, de 12 de maio de 1980, sendo instalado em 16 de junho de 1981. Selvíria até hoje espera os royalties prometidos pela inundação de suas terras pela grande usina, pendência política que segue sem solução.